Cuidados na aquisição de um filhote

0

Temos  filhotes muito afetuosos, carinhosos e lindinhos. O temperamento dos filhotes depende muito de como eles são socializados no início de suas vidas, durante as primeiras 12 semanas. Se conviverem próximos das pessoas e forem tratados com atenção e carinho, serão no futuro, gatos e seguros (não medrosos), dóceis e carinhosos.

Nossos gatos vivem livres, apenas separados entre machos e fêmeas, e convivem conosco como membros de nossa família. Recebem cuidados de alimentação, higiene e assistência veterinária de primeira qualidade.

Algumas considerações importantes para quem quer adquirir um filhote:

A idade média de vida de um gato é 16 anos, podendo chegar a 18 anos. Porisso, vale a pena adquirir um gato saudável e perfeito que não venha a ter problemas durante sua vida.

Para isto, torna-se fundamental levar-se em conta a procedência do filhote. A integridade do Criador (Gatil) é fator preponderante a se considerar quando se busca um bom filhote, perfeito fisicamente e com saúde. E, sobretudo, sem problemas congênitos.

A título de exemplo, comentamos alguns problemas típicos no momento da escolha do filhote:

É comum encontrar no gato Persa uma doença (transmissível geneticamente) que afeta os rins (chamada PKD) que, apenas os criadores sérios, testaram todo o seu plantel através de exames via DNA e, afastaram da procriação os gatos diagnosticados como PKD positivos. Todos os nossos gatos, padreadores e matrizes, foram testados para PKD em um dos melhores laboratórios do mundo, o o Laboratório Gribbles na Austrália. Os certificados se encontram disponíveis para acesso no nosso próprio website para cada reprodutor, macho ou fêmea. Esta é uma doença transmissível geneticamente.

Outro problema é quanto à formação do filhote. O gato Persa por ter o focinho muito achatado é propenso a ter uma má formação do maxilar, resultando às vezes, em torção do maxilar e/ou da boca. Tais problemas resultam em desconforto e dificuldades futuras do gato em relação a alimentação e a respiração.

Muitos criadores permitem o cruzamento de gatos com nível de parentesco muito próximo, o que se chama em genética, “Imbreeding” (nome em Inglês). Pois bem, esta proximidade de parentesco gera, mais comumente falando, a consangüinidade, que acarreta vários problemas congênitos, não percebíveis a olho nú, no momento da aquisição do gatinho. Apenas depois de algum tempo se descobrirá o mal que o afeta. Na grande maioria das vezes os gatos provenientes do imbreeding terão um sistema imunológico menos eficaz, o que os torna mais susceptíveis às doenças. Problemas de impotência sexual ou de fertilidade são comuns também, bem como, a diminuição do tamanho deles.

Outro problema comum é o criptorquidismo. Trata-se de um gen recessivo que quando encontrado tanto no pai como na mãe do gato, leva o filhote a ocorrência de problemas no órgão genital do macho, manifestado fisicamente pela inexistência de um ou dos dois testículos. Para um gatinho com o objetivo apenas de companhia, este não representa um grande mal, mas exige que o testículo(s) incluso(s) seja(m) retirado(s) através de procedimento cirúrgico.

Obs.: Clicando na foto de cada gatinho será aberta outra janela onde poderá ser acessado outras fotos, o pedigree dos pais, e os certificados de negativação do PKD dos pais do filhote. Além disso, todo os nossos padreadores e matrises possuem o Certificado de Identidade Genética via DNA realizado pelo mesmo laboratório, Gribbles, que poderá conferir a paternidade de qualquer um dos nossos filhotes.

Deixe um comentário